História Verde

VERDE ia pela estrada, a única que há, por onde vai toda a gente em caminhos diferentes. Ia para diante, como todos.
Havia até muita gente a quem VERDE tinha já passado à frente, e outros sabendo que VERDE lhes ia passar adiante, se deitavam ao comprido na estrada para que VERDE caísse, mas VERDE, naturalmente, passava-lhes por cima sem os magoar e a muitos até ajudou ingenuamente a levantar-se do chão.
Ficções, da Obra Literária de Almada Negreiros, Assírio e Alvim